Paulo Guedes diz que auxílio emergencial não deve ser prorrogado

A última parcela do benefício vai ser paga em 31 de outubro.

Paulo Guedes diz que auxílio emergencial não deve ser prorrogado

Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, revelou nesta terça-feira, 12, que o auxílio emergencial não deve ser estendido pelo governo federal. Isso, caso não surja uma nova onda de Covid.

A última parcela do benefício vai ser paga em 31 de outubro.

A afirmação foi feita em Washington. Segundo Guedes, o avanço da vacinação reflete na volta ao trabalho.

"Se tivermos um aumento na doença, faremos o mesmo que antes: nós aumentaremos os gastos com proteção para os mais vulneráveis. Mas não é isso o que está acontecendo, com vacinação em massa e volta segura ao trabalho.”