Cerveja contaminada pode ter sido sabotagem de funcionário da cervejaria

Investigação

Cerveja contaminada pode ter sido sabotagem de funcionário da cervejaria

Divulgação

A Polícia Civil de Minas informou que não descarta a possibilidade de que um ex-funcionário da Backer tenha  sabotado os lotes da cerveja Belorizontina.

Segundo o jornal Estado de Minas, há um boletim de ocorrência registrado pela companhia contra essa pessoa.

Autoridades investiga se a presença de dietilenoglicol encontrada nas amostras pode ser a causa da internação de nove pessoas e da morte de um homem.

A Polícia Militar de Minas registrou no dia 19 de dezembro do ano passado um boletim de ocorrência a partir do relato de um supervisor da cervejaria Backer contra um funcionário demitido naquele dia, diz o Estadão.

À polícia, o supervisor, apontado como vítima, afirmou que o funcionário, ao ser informado da demissão, “ficou muito nervoso e agressivo, sendo necessário ser contido por demais funcionários”.

Disse ainda que o funcionário o ameaçou de morte.

A Polícia Civil, porém, não confirmou que a ameaça esteja ligada à suposta contaminação da cerveja Belorizontina por dietilenoglicol.


O Antagonista