Reforma Administrativa de Bolsonaro prevê fim da estabilidade do servidor público

Negociação

Reforma Administrativa de Bolsonaro prevê fim da estabilidade do servidor público

Divulgação

O governo federal enviará nos próximos dias, a proposta da reforma administrativa.  No projeto prever o fim da estabilidade para servidores públicos.  No outro plano, o Governo, vai sugerir modificação nas regras de ouro, mecanismo que proíbe o Executivo de fazer dívida para pagar despesas correntes, como salário, benefícios de aposentadoria, contas de luz outros custeios da máquina pública.  

Segundo o Correio Braziliense, a negociação aconteceu neste domingo, 6. O encontro entre o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Mia (DEM) o presidente Jair Bolsonaro foi fora da agenda do Palácio da Alvorada.  Segundo Maia, o novo texto da regra de ouro terá “gatilhos para controlar as despesas obrigatórias do governo”. Ele considera “prioridade” o envio de propostas que possam controlar gastos. “Precisamos, rapidamente, controlar os gastos, porque, senão, tudo que a gente vem fazendo se perde. O Estado nunca será eficiente se as despesas correntes continuarem crescendo em detrimento da capacidade de investimento do estado brasileiro”, disse

De acordo com o presidente da Câmara, foi acertado ainda um novo texto para tratar da partilha dos recursos do megaleilão do pré-sal, marcado para 6 de novembro, garantindo a participação de 15% dos estados do total arrecadado, e igual fatia para os municípios