Tasso troca candidatura de Dória por Simone Tebet do MDB

Tasso Jereissati revelou que não pretende concorrer mais a nenhum mandato. 

Tasso troca candidatura de Dória por Simone Tebet do MDB

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O senador cearense Tasso Jereissati (PSDB) defendeu o nome da senadora Simone  Tebet, do MDB como terceira via à Presidência da República. 

Tasso deu essa afirmação em entrevista ao Valor Econômico. 

Segundo ele, Simone é o nome que tem melhores condições de desbancar o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula na eleição presidencial deste ano. 

Essa posição contraria as diretrizes do seu partido, que possue candidatura própria. No caso, o governador de São Paulo, João Dória. 

Jereissati nas últimas prévias do PSDB apoiou o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite.

O tucano ressalta que a candidata do MDB é que tem a melhor condição de chegar no segundo turno.

"O que eu avalio: a candidata com maior possibilidade de chegar ao segundo turno, na minha opinião e olhando tecnicamente, é a Simone Tebet. É a única que não tem um nível de rejeição impeditivo de crescimento. Além disso, tem um partido grande e forte, o MDB, é mulher e se destacou bastante na CPI da Covid. Fazendo essa análise, eu acho que a imprensa, os políticos, estão subestimando aquela que é a candidata com maiores chances de ir ao segundo turno. O que significa? Pode continuar tudo como está até junho. Mas há espaço para uma reviravolta", disse.

Em relação a candidatura de João Dória, ele acredita seria importante um possível união com Tebet.

"Se ficar solidificada essa posição de Doria [nas pesquisas], pelo menos abrir conversas com outros candidatos é importante, inclusive com a Simone Tebet. Esta é a minha visão. Nada disso que estou falando é uma questão de preferência pessoal. É baseada nos números. Vai ter que ter desprendimento daqui para frente, percepção e autocrítica de todos", analisa Jereissati.

Tasso Jereissati revelou que não pretende concorrer mais a nenhum mandato. 

" Pretendo, a partir de 2023, não ter mais participação com mandatos na vida política ", afirmou o senador cearense.